domingo, 14 de janeiro de 2018

Larasati no Teatro da Marioneta

A expectativa era enorme. Já sabíamos que Larasati seria um espectáculo pelo qual nos iríamos apaixonar mas foi tão mais que isso.

"Três canções de ninar | Três países : Indonésia, Inglaterra e Portugal | Três meninas: Elizabeth, Teresa e Larasati (que em Português, significa menina bonita. É o nome dado ao Gamelão da Embaixada da Indonésia). Canções de adormecer estrelas é um espectáculo musical interactivo para bebés e para crianças, que explora timbres e texturas resultantes do interlaçar das melodias de três canções distintas mas compostas com o mesmo propósito: fazer adormecer. À voz e ao piano , junta-se esse extraordinário conjunto/orquestra de percussão composta por metalofones, xilofones, gongos e tambores oriundo da ilha de Java, na Indonésia, que dá pelo nome de Gamelão." .. é assim que na página do Teatro da Marioneta começamos por conhecer Larasati. 

No dia marcado lá fomos nós. Estávamos com medo que chovesse, mas tivemos uma doce surpresa, um dia frio de sol. Fomos de autocarro até à R. D. Carlos I e sabíamos que teríamos de subir até ao Museu a pé com todos. Não foi fácil, mas foi possível. As crianças mais velhas da sala da Mariana ajudaram-nos nesta missão, dando a mão a cada uma das crianças da nossa sala. É desta cooperação entre crianças de diferentes idades que vivemos o dia a dia na escola. Pelo caminho alguns colos foram necessários e finalmente chegámos. Lá dentro um pátio interior onde todos puderam correr um pouco, mesmo antes de entrar para a sala onde tudo iria acontecer. 


A Elizabeth e a Teresa levaram-nos então pelo mundo encantado das canções de embalar, por um conjunto de sons e que nos cativaram desde a primeira nota. Depois... depois cada um pode experimentar os diferentes instrumentos que compõem o Gamelão. Que experiência fantástica. No final só queríamos ali ficar a explorar mais um pouco cada um daqueles instrumentos. Regressámos à escola de coração cheio. 


Bravo Larasati!!!

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Das partilhas de casa à multiplicidade de atividades na escola

À nossa sala chegam as mais variadas partilhas famílias. É sempre um prazer receber este amor em forma de género. Seja num bolo que se preparou com todo o carinho, seja num pedaço de plástico que é palco para tantas brincadeiras, seja num livro que se escolhe de manhã da prateleira do quarto para se ler na habitual manhã de acolhimento. E depois é ver o orgulho com que mostram aos outros o que trouxeram. Às vezes com uma maior vontade de partilha do que outras. 


O Pedro trouxe um bolo grande de iogurte que fez com a mãe e partilhou na hora do lanche com os amigos... estava tão feliz a distribuir fatias de bolo pelos amigos. 


A Francisca trazia uma grande pedaço de plástico às bolinhas para a sala. Os pais disseram que era para partilhar com os amigos, mas ela não queria muito dividir aquele prazer de rebentar bolinhas com os pares. A primeira reação foi um amuo mas ao mesmo tempo não conseguiu dizer aos amigos que não queria partilhar com eles. Ficou ali sentada a segurar com muita força o seu pedaço de plástico. Então eu sugeri uma brincadeira. A partir dali, as gargalhadas soltaram-se e aquele momento inicial de angústia, tornou-se num momento de puro divertimento. Todos agradeceram à Francisca com abraços e beijinhos! 


As histórias entram-nos na sala (quase) diariamente. A Maria partilhou em tempos connosco uma história que adorámos. Quem conhece o livro Mamã?

sábado, 30 de dezembro de 2017

À descoberta da plasticina

Na Creche, muitas vezes, o mais simples é o mais importante. A alegria que foi experimentar brincar com plasticina pela primeira vez, vale mais que cem projetos juntos. A capacidade de se encantarem,  a gargalhada ao primeiro toque, a experiência de dividir, moldar, esticar, enrolar, juntar, misturar, mexer... tão bom  poder só observar!

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Prenda de Natal

Este ano, para prenda de Natal, decidimos fazer uma moldura com uma foto de cada uma das crianças da sala. Trouxe pedacinhos de tecido com cores de Natal para sala e começámos a nossa prenda. 


Com os quadradinhos de tecido ao dispor, cada um foi colando à volta da moldura , com o apoio do adulto, dando cor e forma à sua prenda. No final, depois de seca, coloquei um fotos bem natalícia e divertida de cada um. Ficaram um amor. 



Depois foi a vez de preparem o embrulho. Que bom é fazer parte de todo o processo da realização das prendas que oferecemos. Com riscos, pintas e cores que se misturam, todos foram dando vida aos seus embrulhos de Natal. 


Chegado o grande dia oferecemos as prendas às famílias. Algumas quiseram abrir ali, logo na festa... outras deixaram para depois do Natal. Por isso só divulgamos a nossa prenda hoje. Espero que todos tenham gostado!!! 

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Feliz Natal da Sala da Marta!!!

Este ano a nossa árvore de Natal foi feita por todas as crianças e famílias da escola. Que linda ficou! Obrigada a todos os que se atreveram a sujar as mãos. 

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Partilhas Musicais

Na nossa sala gostamos todos muito de música. Lá em casa nós também gostamos e é assim que, de vez quando, eu trago algum instrumento que faz as delícias das crianças. Primeiro veio o djambé. Foi tão divertida a nossa manhã. E agora que este djambé repousa à porta da nossa sala não há momento em que não se escape alguém lá fora para uma "batucada".  



Depois veio o piano de chão. Tantas descobertas, tantas canções, tantas explorações, que tarde cheia de cor e movimento, que culminou com uma roda de dança. 


sexta-feira, 24 de novembro de 2017

A partilha das bicicletas

O Miguel na semana passada partilhou com os amigos da sala alguns objetos que ele utiliza quando anda de bicicleta. Também trouxe um cartaz de bicicletas e uma mini bicicleta, revelando assim o seu gosto por este meio de transporte. Na sala percebemos que há mais crianças que gostam de andar de bicicleta e algumas que o fazem regularmente com os pais. Enquanto o Miguel partilhava estes objetos com os amigos, reparámos nas fotos das famílias da sala que o Sebastião também costuma andar de bicicleta com a família. Depois do Miguel mostrar aos amigos o que trouxe, a Francisca pediu para experimentar o capacete. Depois da Francisca, a Maria, o Eduardo e o Santiago também o quiseram fazer. O entusiasmo foi tão grande que um a um lá foram todos experimentando o capacete, à semelhança do que fazem em passeios com as famílias. Pelo cartaz conseguimos identificar bicicletas grandes e pequenas. Algumas crianças preferiram brincar com um cestinho da bicicleta em jeito de faz-de-conta. 


Mais tarde, nesse dia, trouxe várias bicicletas desenhadas que as crianças puderam pintar e explorar, estabelecendo um diálogo sobre este meio de transporte. Colámos as bicicletas num cartaz e fomos pedir aos amigos da sala da Mariana que desenhassem as crianças da nossa sala. 


Hoje chegou-nos o trabalho final. Obrigada à sala da Mariana por este trabalho em parceria e obrigada à família do Miguel por esta partilha.